quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Summer Soul Festival SP com Amy Winehouse. EU FUI!



O Summer Soul Festival, realizado no dia 15 de janeiro em São Paulo trouxe como estrela principal, a super diva Amy Winehouse.

Como fã de seu trabalho, e com um medo enorme de que acabassem os ingressos, consegui o meu na logo primeria semana de vendas.
Antes de se apresentar em São Paulo, Amy se apresentou em Florianópolis, Rio de Janeiro e Recife. Nos primeiros shows a cantora foi muito criticada e muito elogiada, porém, eu como fã de seu trabalho fui criticada até não aguentar mais por ter gasto meu dinheiro com um show como o dela. "Investimento de risco" alguns educados chamavam, enquanto outros diziam que era uma tremenda "burrice" mesmo. Tentei não levar isso pro lado pessoal e tentar enxergar como pura inveja mesmo... bola pra frente! Afinal, o fato de ela ter passado por fases ruins antes de decidir vir pro Brasil não me impediria de querer vê-la. Quem poderia me garantir que ela pretende voltar ao Brasil outra vez a não ser nesta ocasião? Não poderia perder essa chance. Arrisquei feliz!

No dia do Show, enfim, iludida achando que Amy Winehouse cantaria cedo, já que os portões abriram as 15hs e o show estava marcado para as 18 hs. Cheguei as 17 hs.

Quem abriu o Festival foi a dupla Miranda Kassin e André Frateschi. Cantaram super bem por cerca de uma hora. Em seguida o Instituto subiu ao palco com a participação de Thalma de Freitas que foi anunciada pelo rapper Kamau, se apresentaram por bastante tempo, perdi a noção do tempo, porque achei muito ruim a apresentação do Instituto, que cantou rap e outras músicas que estão longe de parecer com o estilo de música proposto para o festival. Eu bocejei e vi muita gente bocejando ao meu lado, torcendo para que acabasse logo.


Após essa apresentação super demorada, era hora de ouvir Mayer Hawthorne. Com sua voz delicada e com o seu bom humor, até soltou uma piadinha sobre o terem confundido com o "homem aranha" no aeroporto, arrancou risos e suspiros com suas músicas e com o seu jeito tímido de nerd, com direito a gravata borboleta e tudo mais. Adorei!



Em seguida, o que todos nós esperavamos que fosse só mais uma apresentação de Janelle Monae, ela aparece surpreendente do momento em que pisa no palco até o momento em que sai. Chegou arrazando, linda e espetacular. Ela tem uma tremenda presença de palco e a voz dela nunca se cansa, é impecável! Ela anda e corre pelo palco com uma capa preta, pula, rola no chão, se descabela, pinta um quadro e até faz moowalk! Não poderia ser melhor. Arrazou! Com certeza sairam desse festival milhares de novos fãs dessa diva do Soul. Inclusive, Eu.


A apresentação a seguir era da estrela principal: Amy Winehouse. Acho que 100% das pessoas que foram ao festival foram com intenção de vê-la principalmente, então a expectativa era grande.
Foram cerca oito horas de espera, entre a abertura dos portões até o momento em que ela se apresentaria, porém, com meia hora de atraso ela começa sua apresentação as 23:40.
Simplesmente entra cantando. Como primeira musica: "Just Friends", onde interrompe algumas vezes, acredito que por ter esquecido a letra. Entrou desanimada e cantou quatro músicas, as mais tristes possível, derramou algumas lágrimas entre uma e outra. Coçando o nariz e massageando o braço, todo mundo desconfiou de que ela estivesse drogada. O que não duvido muito.
Sua voz estava boa, porém fraca, o público e o vocal de apoio conseguiam cantar mais alto do que ela com o microfone na boca.
Saiu, deixou a banda sozinha, voltou com uma caneca, cantou, parou, apresentou os músicos, enrolou o máximo que pode, acredito eu que ela não estava afim de cantar des do início. Já faz muito tempo que vejo a Amy se apresentando através de vídeos e ela deixa extremamente transparente o quanto está cansada das próprias músicas. Canta fora do ritmo e nem sequer solta a voz. A apresentação durou pouco mais que uma hora no total. É claro que se contar o tempo em que ela estava cantando nem ao menos chega a uma hora.

Apesar de ver Amy Winehouse dando tão pouco de sí, fiquei feliz por ela ter cantado músicas que eu adoro, e de vê-la pessoalmente, apesar da distância. Sei que ela dá trabalho, e já não é a artista que costumava ser, mas adoro demais essa sem vergonha!

Teve pontos negativos sim, fui com expectativas demais pra um show em que eu já sabia, não seria nada além do que foram as outras apresentações dela pelo resto do Brasil. Apesar de ouvir dizer que a de São Paulo foi a melhor.

Gostei de vê-la cantar "Back to Black", "Valerie" e fechar o show com "Me and Mr Jones". Foi emocionante ouvir tais músicas ao vivo.

Mas pra ser sincera, o show da Janelle Monae, que eu nem conhecia, me surpreendeu muito mais.

Foi realmente, covardia, como descrito no G1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário